Fragatas com saudades de andar de AC...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Viagem à Escócia XIII e XIV

18º Dia – 26 Março – Sexta-feira
Invercaimbe → Arisaig → Fort William → Oban → Inveruglas
248 km
Passamos a noite num PC familiar, com uma paisagem espectacular sobre a praia que só pudemos apreciar de manhã pois quando chegamos já estava escuro. Este parque embora simples era muito simpático, poucas comodidades, sem aquecimento no wc, mas a lavagem e secagem de roupa são gratuitas (14£). Enquanto preparávamos o pequeno-almoço e limpávamos a AC, os meninos andaram de bicicleta. Saímos para Arisaig, uma terra muito pequena com ruas de casinhas geminadas.
Na estrada para Fort William fomos passando à beira de lagos espectaculares com margens suaves por vezes fazendo praias, os Lochs nan Uamh, Eilt, Shiel, Eil e Linnhe. Sobretudo o Loch Eilt o mais pequeno destes, espelhava com tal precisão a paisagem das montanhas da margem, impressionantemente belo. Nesta estrada a A830, visitamos o The Prince´s Cairn, um dólmen que marca o local onde o Príncipe Charles Edward Stewart embarcou para França em 1746 após ter perdido a batalha de Culloden.
Um pouco mais adiante o Glenfinnan Monument, um monumento de cerca de 20m, em honra daqueles que apoiaram o referido Príncipe na batalha; perto deste, observamos o Viaduto de Glenfinnan, por onde passa o combóio e que deve ser o mesmo que se vê nos filmes do Harry Potter pois qualquer semelhança não parece ser coincidência!
Já mais perto de Fort William visitamos o Neptune´s Staircase, outra obra de engenharia do Canal da Caledónia. Um sistema que nos pareceu semelhante ao de Fort Augustus mas com maior inclinação fazendo degraus. Desta vez não tivemos tanta sorte pois não se abriram as comportas, os meninos ficaram tristes. Todo este trajecto é acompanhado de perto pela linha de comboio que por vezes se afasta passando entre montanhas e em viadutos, se por estrada a viagem é linda imagine-se de comboio a vapor… um dia. Um desses viadutos situa-se perto do monumento de Glenfinnan pelo que tem esse nome.
Paramos em Fort William para visitar e almoçar, estacionamos num parque por detrás do Morrisson´s autorizado para ACs e perto do centro da cidade. Esta cidade situa-se no sopé de Ben Navis, a montanha mais alta do UK com 1344m, dizem que o seu cume está enevoado em cerca de nove em cada dez dias, também nós não tivemos essa sorte, ainda por cima estava mesmo muito nevoeiro. Na cidade compramos uns brinquedos para os miúdos e almoçamos o mesmo do costume, muitas batatas fritas, filetes fritos, scrampis fritos , muitos fritos…
Continuamos a viagem em direcção a Glencoe onde mais uma vez a paisagem de montanhas é muito bonita existem PCs com excelente aspecto e com vista sobre o Loch Leven.
Como estava muito nevoeiro e não se viam bem as montanhas optamos por continuar para Oban. No caminho passamos pelo castelo de Stalker. Oban também é uma cidade portuária de onde partem diversos ferrys para as ilhas.
Gostamos muito da cidade, muito movimentada, com edifícios coloridos sobre o porto. Situa-se numa colina onde no cimo podemos ver um edifício semelhante a um coliseu construído em 1800, a McCaig’s Tower. Possui imensas casas apalaçadas transformadas em hotéis. Tem uma catedral em granito cor de rosa e um castelo com 600 anos. O Dunollie Castle. Seguimos em direcção ao Loch Lomond passando ainda por mais um castelo, o Kilchur Castle. Fomos descendo o lago e apreciando a sua margem até Inveruglas onde passamos a noite no Loch Lomond Holiday Park. Este PC é também muito bonito, mesmo junto ao lago e com um parque infantil (20£).













19º Dia – 27 Março – Sábado
Inveruglas → Glasgow
73 km
Chegamos ao PC de Glasgow, em Stepps por volta das 11h00 e deslocamo-nos de comboio mesmo ao Centro de Glasgow à Qween Street Station. Tinhamos resolvido uma vez que estamos todos muito cansados, passear apenas no centro da cidade e não fazer uma visita exaustiva. Era tarde de sábado e parecia que mesmo com frio e chuva toda a cidade andava a passear e a fazer compras. As avenidas do centro são povoadas de lojas de marcas conhecidas e grandes galerias comerciais e o mais engraçado é que como na maioria das grandes cidades os artistas de rua são fantásticos e merece a pena ir parando e assistindo aos tocadores de gaita de foles, aos homens estátua muito bem caracterizados, aos malabaristas e faquires...




Enquanto o papá intertia os meninos visitei a Gallery of Modern Art, este edifício outrora o Centro de Comércio da cidade, data de 1829 e abriu como galeria em 1996. O GoMA como é conhecido, está a desenvolver uma

videonova colecção de obras de artistas de Glasgow. Apresenta habitualmente exposições temporárias e nesta altura pude ver além de algumas "instalações" que utilizavam novas tecnologias, fotografias de artistas escoceses. Soube bem esta escapadela!




















Também nos vingamos nos cafés do Costa e do Starbucks que apesar de tudo são um pouco mais parecidos com as nossas saudosas bicas. Regressamos ao PC depois das 18h00 e jantamos na AC. O Craigendmuir Caravan and Camping Park é essencialmente um parque de caravanas fixas, com aliás algum daqueles onde ficamos, possuindo alguns alvéolos para as de turismo, situa-se a cerca de 5 milhas do centro da cidade e a cerca de 800m (15 min a pé) da estação de comboio de Stepps (23£).

domingo, 23 de maio de 2010

Viagem à Escócia XII

17º Dia – 25 Março – Quinta-feira
Uig → Duntulm → Staffin → Uig → Portree → Armadale → Mallaig → Invercaimbe
172km



















Castelo de Duntulm




Skye








Resolvemos hoje repetir o caminho que ontem tínhamos feito de noite, por nos parecer que devia ser muito bonito. Assim saímos de Uig por volta das 9h45 em direcção a norte, passando por montanhas onde a erosão e sucessivos desmoronamentos expôs a base de um planalto vulcânico, revelando fantásticos espigões e torres. Esta maravilha é sobretudo visível da tal estrada que tínhamos passado de noite, ainda bem que voltamos.


















Portree
Passamos no Cottage Museum que estava encerrado e apenas podemos ver o exterior das réplicas das casas antigas de Skye.









De seguida verificamos que não teríamos muito tempo para fazer a costa oeste pelo que regressamos a Portree na direcção a Armadale para apanhar o ferry para Mallaig. No caminho passamos por uma área preparada para AC com ligação a electricidade e WC, a localização é muito bonita pois fica na enseada de Sligachan. Tem que se pagar uma taxa.
Nesta estrada que já tínhamos feito ontem, voltamos a ver os Montes Cullin que são de facto muito bonitos.
Chegamos a Armadale por volta das 13h30 e almoçamos na AC após termos comprado o bilhete. Os ferrys para Mallaig são às 9h10m e às 16h45 (32,03£).
Após o almoço demos mais um giro em Skye perto de Armadale até chegar a hor de embarcar. A viagem de ferry correu muito bem e chegamos a Mallaig por volta das 17h15m. Esta pequena vila, é bonita e vive em redor do seu porto, de onde partem barcos de pesca e ferrys para as ilhas. Quase todas as lojas fecharam às 17h30. Tem uma estação de comboio onde no verão parte o comboio a vapor Jacobita, em direcção a Fort William. Já sabíamos que não poderíamos andar no “comboio do Harry Potter” nesta época do ano. E uma curiosidade é que este comboio foi construído em Vila do Conde!
Jantamos o melhor jantar da viagem, peixe local e lagostins, acompanhado de um vinho branco da África do Sul que nos soube mesmo bem.

sábado, 22 de maio de 2010

Viagem à Escócia X e XI

15º Dia – 23 Março – Terça-feira
Dunbeath → Inverness → Urqhuart Castle → Drumnadrochit
178 km










Dunbeath
Hoje partimos um pouco mais tarde, aproveitei para limpar a enlameada AC, depois do dia chuvoso de ontem tinha ficado caótica
No caminho avistamos algumas plataformas petrolíferas junto à costa.












Chegamos a Inverness por volta das 12h00, estacionamos no parque de estacionamento do supermercado Morissons, que além de não ter limitadores de altura fica mesmo no centro da cidade.
Visitamos a cidade que é bonita e se desenvolve nas margens do rio Ness e onde se vê o Castelo de Inverness no cimo de uma colina, agora convertido em tribunal.















Almoçamos no MacD, reabastecemos o frigorífico e por volta das 15h00 descemos ao longo do Loch Ness chegando mesmo a tempo de visitar o maravilhoso e mítico Castelo de Urqhuart.



Tocador nas ruas de Inverness














Castelo de Urqhuart









Castelo de Urqhuart

























Finda a visita dirigimo-nos ao Borlum Camping Park que fica a cerca de 3 Km do Castelo pelo que viemos cedo e aproveitei para lavar roupa e descansar antes de preparar o jantar para o pessoal!!

16º Dia – 24 Março – Quarta-feira
Drumnadrochit → Fort Augustos → Glenshiel → Castelo de Eilean Donan → Kyle de Lochalsh → Broadford → Portree → Staffin → Uig
276 km
Saímos do Borlum Camping Park por volta das 10h15, após abastecer de água e fazer despejos. Não gostamos especialmente deste PC, apesar de se localizar numa encosta muito bonita e de ser também uma estrebaria, podendo ver-se bonitos cavalos à solta. Os donos aproveitam-se e além da diária do parque, é preciso meter moedas de 20p para 5 min de duche nuns balneários rudimentares e frios. Até lavar a roupa foi mais caro e levam o mesmo valor para secar coisa que não acontecia em nenhum outro parque.




Depois deste desabafo, gostava de dizer que este dia foi esplêndido! Continuamos a descer junto à margem do Loch Ness (por onde passamos por um PC mm junto ao lago a seguir a Invermoriston mt bonito e que nos deixou cheios de pena de não o termos visto antes), até Fort Augustus a



pequena vila onde termina o lago e inicia o Canal da Caledónia. Tivemos muita sorte porque estavam a abrir as comportas e a ponte giratória e pudemos observar o barco a passar o canal. Os meninos adoraram e nós também!! Depois de visitar e tomar um café na vila, dirigimo-nos para Glenshiel optando pela A87 que passa por Invergarry. Aqui encontramos um pequenino castelo completamente destruído e ainda não recuperado.
A viagem de Invergarry a Dornie é maravilhosa, paisagens de cortar a respiração entre as margens dos Lochs Garry, Loyne, Cluanie e Duich que são muito mais bonitos que o famoso Ness. Nesta altura do ano há centenas de cascatas entre montes de cumes ainda nevados e na zona da Batalha de Glenshiel (1719) forma-se uma espécie de desfiladeiro lindíssimo e avistam-se as five sisters, umas montanhas famosas.

























Este percurso tem das paisagens mais bonitas que já vimos! É curioso que na Escócia todas as montanhas têm um nome !
Toda esta beleza termina no famoso e magnífico Castelo de Eilean Donan, uma antiga fortaleza jacobita, destruído em 1719 por navios de guerra ingleses e restaurado no séc. XIX. Apesar de se encontrar encerrado nesta altura do ano, pode visitar-se o exterior passando a sua bonita ponte.
Já muito perto de Skye e da sua ponte passamos por Kyle de Lochalsh procurando um local para almoçar marisco local mas sem sucesso. Em Kyleakin a primeira vila de Skye também encontramos um pequeno e muito destruído castelo, Caisteal Maol.










Em Broadford lá encontramos um restaurante aberto que publicitava seafood (tão famosa em todos os guias) e já começava a servir os jantares (por volta das 17h00 já entravam pessoas para jantar!!). Escolhemos losbter para entrada e vieram uns camarões minorcas, em molho de manteiga !! Mas que desconsolo!!!
Partimos em direcção a Portree, mais uma vez passando por centenas de lindas cascatas que nas montanhas escorriam água em quantidade impressionante, provavelmente por estar a ocorrer o desgelo da neve dos seus cumes. Portree uma vila com um porto de casas coloridas e cujo nome significa “porto do rei”, assim baptizado em 1540 após uma visita do rei Jaime V.
Embora já escurecendo e com uma névoa cada vez maior, ainda conseguimos ver o Storr, um planalto de basalto no qual a erosão criou um monólito baptizado de “The old Man of Storr”. Perto de Staffin outro ponto de paragem (já quase de noite) para apreciarmos o Kilt Rock, um rochedo também moldado pela erosão formando uma escarpa sobre o mar.
Tínhamos indicação de um PC em Staffin mas ainda estava fechado. Não encontramos nesta zona nenhum local para estacionar a AC pelo apesar do adiantado da hora revolvemos ir para Uig na esperança de sendo uma vila maior ser mais fácil de encontrar onde pernoitar. Optamos pelo caminho mais perto mas este era só de uma via e de noite só percebemos que era entre as montanhas e bem alto. Ao chegarmos a Uig encontramos na estrada uma carrinha comercial de um camping e perguntamos se havia algum PC na cidade, logo por coincidência eram os donos e foi só segui-los. Também aqui fomos informados que às 20h30 não iríamos encontrar nenhum local para comer pelo que mais uma vez ficamos desolados e comemos torradas na AC.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...